segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Elegia.

Lamentação lida
Nos versos dos teus lábios,
Fugazes as almas que me acodem
Neste labirinto interno de desordem.

Ruas estreitas e vazias
Onde a escuridão predomina
Avistam-se homens de sabedoria
Na luz da esquina.

Passos acelerados vindos do fundo
Onde serpentes em magoas se afogam
Lutando pelo lugar mais imundo
Neste fim de mundo.

Sangue correndo pelas ruas
Onde belas moças passeiam nuas
Levando mortos às costas
E mágoas arrastam-se pela fúria.

Derramando pétalas no rio
Apenas para perder a alma no brio.

8 comentários:

  1. existe a mais profunda beleza, no ser mais melancólico, na mente mais sofrida, e na poesia mais soturna...

    loving it

    ResponderEliminar
  2. tao, mas tao linda, que faz estranhos seres serem felizes com um sentimento, que aos outros, os deixaria tristes e em desespero :b

    ResponderEliminar
  3. oh wow pareces uma terapeuta.
    o problema é que não se trata dos meus erros, aliás o que quis dizer não tem a ver propriamente com o que faço mas sim com o que me acontece naturalmente
    ganhar tempo é estar no presente.
    oh si mas eu quero fazer agora mas não consigo, não consigo mesmo. se soubesses o quanto quero sair disto! parece que estou presa em mim mesma, o que é realmente estúpido pois todas as partes de mim querem sair, logo, o que me prende? é isso que me faz confusão!
    e eu acho que estou perdida num mundo perdido.

    ResponderEliminar
  4. ya porque tava mesmo agora a ver uma série: being erica, não sei se conheces, em que a gaja tem bues problemas com o passado e tal e do nada aparece um terapeuta que lhe oferece ajuda e lhe pede para ela fazer uma lista das coisas de que ela se arrepende mais. e o terapeuta é brutal porque a faz voltar atrás no tempo para ela supostamente corrigir as cenas e tal mas depois ela apercebe-se que isso não é assim tão fácil. ENFIM QUE APARTE, portanto tu por momentos parecias ele haha.
    ya mesmo, é por essas e por outras que gostava de ser mais ingénua e burra ou o crl para não estar nesta monotonia de vida em que tudo parece igual ou raio.
    não sei! sim tem lógica, o corpo prende o espírito. que filosofas que nós andamos xD

    ResponderEliminar
  5. olha se há coisa que já aprendi é que quer esteja o mais longe possível de tudo e todos e por mais que goste desse sítio e etc, eu continuo na mesma, pelo menos falo por mim. quando fui para paris estava numa fase parecida à que estou a passar agora, aliás, esta fase é a continuidade da outra ou raio porque cada vez estou pior. que drama. pensei que as coisas iam melhorar, tás a ver? uns ares diferentes dos que estou habituada e etc, mas man, pode-me ter aliviado por leves momentos mas apesar de tudo as coisas continuavam o mesmo. porque eu continuava comigo, sei lá, posso deixar tudo mas nunca me deixo a mim própria e isso leva-me a pensar que o problema sou mesmo eu! é claro que depois há muitas outras coisas exteriores a mim que agravam isso. opá é tipo uma droga, tu ao início opá é brutal porque faz efeito mas ao longo do tempo ela vai perdendo o efeito e passa a ser demasiado curta. não sei se me estás a entender ou se estou a fazer sentido ou não mas pronto. mas é tal coisa como tu dizes, já nada me consegue animar de verdade e fazer-me sentir feliz, é tipo como se estivesse adormecida. é que é isso mesmo, sinto-me TÃO ADORMECIDA NÃO TENS NOÇÃO O:
    btw, fizeste piercing onde?

    ResponderEliminar
  6. sinceramente, como é que poderíamos dar sentimento a um texto, sem nunca termos passado por uma coisa? dar um exemplo, n é o mm que passar por ele...
    usando as palavras de Oscar Wilde "Experience is the name everyone gives to their mistakes"
    sofrimento é experiencia.
    e sofrimento é isso mm.
    d kk das formas, prefiro andar num mundo real, de maos dadas com o sofrimento em si, que viver num conto de fadas...

    ResponderEliminar