segunda-feira, 15 de setembro de 2014

A dor é a razão do meu amor florescer
De te querer ver crescer
De te poder tocar e não ter medo de me magoar
Nem medo de te enfrentar.

O que me incomoda é a tristeza
A imensa sensação de fraqueza
Que me invade quando os dias são chuvosos
Mas falsamente calorosos.

A dor reanima o espirito adormecido
A tristeza um maldito bandido
Sem cara, sem sentimento
Um maldito tormento.

sábado, 13 de setembro de 2014

I had faces,
I had faces deep buried
I had faces around places
Deep in the water
With scratches marks
Like sharks
I swam the ocean.
And not once
My hearts stopped to ache
With or without your absence.