quinta-feira, 12 de março de 2015

Vem fazer de conta eu acredito em ti

Tropeço nas tuas mentiras
Enquanto desaperto as tiras
Que me ligam a ti.

Choras porque fugi,
Choras porque pensas que te agredi.

Sou a tua pétala
A quem roubas a vida
E prendes numa cela.
Enches-me de herbicida
Porque tens medo que o meu amor seja contagioso
E acima de tudo doloroso.

As lágrimas caiem sobre a tua frieza,
Não tenho a certeza se é tristeza…
Alguma coisa em mim se foi.

Não sei se é a tua presença que me abstrói
Ou se apenas dói.

Dói esta mutilação de emoção
Esta falta de coração
Se o meu sangue escorre é por ti
Não posso negar que pressenti
Tu a fugires de mim
Como Abel de Caiem.

Raspo a pele à lamina
Num gesto de pantomima
Desesperada por sentir
Que se eu desistir…

Tu vens me mentir.

Sem comentários:

Enviar um comentário